Estima-se que menos da metade dos efluentes industriais produzidos no Brasil recebe tratamento adequado antes de serem descartados na natureza, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre). Isso significa que cerca de 60% dos resíduos gerados pelas indústrias são despejados em corpos d’água e redes de esgoto sem serem devidamente tratados.

Esse cenário traz diversos problemas para o meio ambiente, saúde pública e bem-estar da população em geral. Os efluentes industriais e resíduos sólidos podem causar desequilíbrio na fauna e flora, morte de seres aquáticos, infertilidade do solo e também trazer problemas de saúde humana, como a presença de diversas doenças.

Para minimizar esses riscos, é necessário adotar ações de descarte adequado para esses materiais. É importante lembrar que o tratamento de efluentes e resíduos é exigido pela legislação brasileira, conforme determinação do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) do Ministério do Meio Ambiente.

As indústrias devem seguir as recomendações da legislação, órgãos públicos e associações ligadas à saúde e meio ambiente para garantir a correta gestão desses materiais. Mesmo as empresas que utilizam fossas sépticas devem realizar regularmente o serviço de limpa fossa para evitar riscos ao meio ambiente.

Efluentes industriais são materiais líquidos ou gasosos gerados durante o processo de fabricação. Eles podem conter substâncias tóxicas que são prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Por isso, é fundamental realizar o manejo adequado antes de lançá-los na natureza.

Os resíduos industriais são as sobras da produção que muitas vezes possuem uma composição mista. O descarte desses resíduos deve ser feito de forma controlada para evitar riscos ao meio ambiente.

No caso dos efluentes e resíduos relacionados ao esgoto, é recomendado contratar empresas especializadas para realizar todo o processo de tratamento. Por exemplo, empresas que possuem fossa séptica podem contar com o serviço de uma desentupidora para a limpeza e manutenção dos tanques.

Quando o manejo correto é realizado, as indústrias obtêm diversos benefícios, além da redução da poluição. O tratamento de resíduos e efluentes industriais permite a diminuição da contaminação da água, o que contribui para prevenir doenças, como a amebíase, de acordo com o Ministério da Saúde.

A contaminação da água pode acarretar diversos problemas, como a giardíase, gastroenterite, febre tifoide e cólera. Além disso, a falta de cuidado no descarte adequado desses materiais pode resultar em desequilíbrio hídrico e até mesmo colocar em risco a vida dos seres aquáticos.

Outro ponto importante a se destacar é a poluição atmosférica, que pode ser reduzida significativamente com a adoção de práticas corretas de descarte. É essencial compreender que as indústrias são as principais responsáveis pela contaminação do ar. Portanto, é crucial que haja um manejo adequado dos resíduos e efluentes para minimizar as consequências negativas causadas por essas organizações.

Os benefícios de uma abordagem responsável em relação ao manejo de resíduos e efluentes não se limitam apenas à saúde do meio ambiente. As empresas também podem colher vantagens financeiras, como a redução de gastos e economia de recursos potáveis. Além disso, uma empresa que demonstra preocupação com a sustentabilidade é valorizada pela sociedade e pode melhorar sua reputação no mercado.

Cada vez mais órgãos públicos, clientes e fornecedores priorizam parcerias com empresas que adotam medidas para minimizar os impactos ambientais. A conscientização e o compromisso em relação à preservação do meio ambiente são, portanto, um fator determinante para construir uma imagem positiva no setor e se posicionar como uma organização preocupada com a sustentabilidade.

Recommended Posts