Mais da metade dos aplicativos serão desenvolvidos com pouco código até 2024, segundo um relatório divulgado pela HCLTech. Essa tendência de investimentos em aplicativos nocode e low code pode trazer benefícios para o setor de Recursos Humanos (RH), especialmente em tempos de trabalho remoto.

No último ano, milhões de brasileiros estavam em trabalho remoto e utilizando aplicativos para realizar suas tarefas, de acordo com a PNAD. Diante disso, as lideranças de RH estão buscando soluções para manter os processos em sincronia com a tecnologia, como a Inteligência Artificial (IA) e a automação de processos.

O uso de soluções no-code no setor de RH traz diversos benefícios, como a automação de etapas do processo de contratação, economizando tempo dos profissionais. Além disso, a criação de aplicativos sem código facilita a experiência de integração dos novos funcionários, aumentando a taxa de retenção e a produtividade.

A automação, utilizando ferramentas no-code, também é recomendada para agilizar processos como a validação de documentos e o fornecimento de credenciais de acesso. Além disso, é possível gerenciar registros, controlar licenças, treinar funcionários e acompanhar o desempenho por meio de aplicativos desenvolvidos sem código. Até mesmo tarefas como controlar ponto e horários, realizar reembolsos e declarar o Imposto de Renda podem ser facilitadas com o uso dessas soluções.

Plataformas no-code permitem que os funcionários validem suas ideias antes de envolver o departamento de TI, estimulando a inovação e aumentando a participação dos colaboradores no processo de criação de novas soluções tecnológicas.

Em resumo, a tendência de desenvolvimento de aplicativos com pouco código traz oportunidades para o setor de RH, que pode se beneficiar com a automatização de processos, maior agilidade e facilidade na criação de soluções tecnológicas para o dia a dia de trabalho.

O setor de Recursos Humanos tem utilizado planilhas para organizar informações, mas a tecnologia no-code tem se mostrado uma alternativa valiosa. A plataforma Jestor conduziu um estudo comparativo entre o uso de aplicativos e planilhas nas tarefas diárias do RH, concluindo que a triagem de currículos é mais ágil e eficiente com a automação proporcionada pelo no-code.

Outro exemplo destacado é a pesquisa de clima organizacional. Sem o auxílio da tecnologia, essa atividade é limitada e pouco interativa. No entanto, com o no-code, ela se torna dinâmica e permite o feedback instantâneo dos funcionários.

Para os profissionais que desejam implementar soluções no-code, existem diversos cursos gratuitos disponíveis no mercado que buscam tornar essa abordagem mais acessível. Portais como No-Code Start-Up, Portal NoCode e ServiceNow oferecem cursos e e-books gratuitos sobre o tema.

Recommended Posts